O PIOR, É QUE ELES (plin,plin) TEM RAZÃO.

17/03/2008 - 14h30

Novela é ficção, chute na santa é vida real, diz executivo da Globo

da Folha Online

A Globo reagiu à reportagem da Record de ontem à noite, na qual a emissora atacou o "preconceito religioso" que a novela "Duas Caras" estaria promovendo (segundo a própria Record). Para o diretor da Central Globo de Comunicação (CGCom), Luis Erlanger, a atitude mostra como a Record é preconceituosa e confunde ficção com realidade.

"Chute na santa, campanha para acabar com as festas de São João etc., isto, sim, é coisa da vida real. O que se passa em "Duas Caras" é só uma ficção, afirmou Erlanger à Folha Online.

"O preconceito é deles (da Universal) que (automaticamente) colocam uma fanática desequilibrada como evangélica, e não o Aguinaldo Silva. Que, aliás, é um defensor de movimentos e de minorias."

A última reportagem de ontem no "Domingo Espetacular", com várias chamadas, criticou a trama de Aguinaldo Silva por ter levado ao ar uma cena na qual a personagem Edivânia (Susana Ribeiro) comandava uma tentativa de linchamento do triângulo amoroso formado pelos personagens Dália (Leona Cavali), Bernardinho (Thiago Mendonça) e Heraldo (Alexandre Slaviero). A Globo foi acusada abertamente de incitar o preconceito contra evangélicos. Há um detalhe: em nenhum momento a novela usou a palavra "evangélico", embora seja óbvio que Edivânia pertença à corrente.

No entanto, a reportagem da Record não citou que a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), dona da emissora, tem histórico de ataques outras religiões, como o candomblé e o espiritismo, além da Igreja Católica.

Um dos principais best-sellers do dono da Record e líder da Iurd, bispo Edir Macedo, é o livro "Orixás, Caboclos e Guias - Deuses ou Demônios?". A obra diz que as religiões umbanda, candomblé, quimbanda e kardecismo são os "principais canais de atuação dos demônios, principalmente em nossa pátria".

O livro foi tirado de circulação em 2005 pela Justiça, a pedido da Procuradoria Geral da República, acusado de intolerância para com as religiões afro-descendentes.

Em entrevista à Folha Online, o promotor Almiro Sena Soares Filho, da Promotoria de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa do Ministério Público Estadual da Bahia, afirma que, em Salvador, já houve casos de agressões de fiéis evangélicos a terreiros de candomblé.

Mas, segundo o promotor, os evangélicos também sofrem com a intolerância. "Tem gente que diz que evangélicos são otários e que os pastores são estelionatários. A gravidade é a mesma e esse preconceito é absurdo. Há gente boa e ruim em todas as religiões", afirma.

Para Soares Filho, a única saída para o conflito é a convivência harmoniosa entre as religiões. "Todas as religiões devem ser respeitadas".

A Folha Online procurou a Record, para comentar o caso. A emissora ainda não se pronunciou sobre o assunto.



Escrito por TYCO às 16h38
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
BRASIL, Homem, de 26 a 35 anos, TEÓLOGO JR.


Histórico
Votação
Dê uma nota para meu blog


Outros sites
Seminário Teológico Batista Nacional
Praxis Cristã
Baú de Idéias
Estante Virtual
Caio Fábio
Ricardo Gondim
Papo de Teólogo
CBN São Paulo
Mensagem da Cruz
O Remanescente
UOL - O melhor conteúdo
BOL - E-mail grátis